Sustentável pra lá, sustentável pra cá…

Uma norma que vai valer para as empresas em geral, e também para as vinculadas ao universo da moda, é a que foi divulgada neste mês pelo Conselho Nacional de Autoregulamentação Publicitária (Conar). Segundo o órgão, a partir de 1º de agosto a publicidade veiculada no Brasil não poderá mais citar o atributo sustentável sem que possa comprová-lo.

Significa que os profissionais da publicidade e as agências pensarão duas vezes antes de lançar aquelas chamadas que por muitas vezes desconfiavam os nossos ouvidos: a empresa mais sustentável, o banco sustentável, a loja sustentável etc.

Em entrevista ao Estadão, o presidente do Conar, Gilberto Leifert, afirma que não se trata de um boicote a este tipo de publicidade, mas sim uma maneira de reduzir o greenwashing, prática que já vem sendo limitada em alguns países da Europa.

Vamos observar quem vai ter coragem de usar essa palavrinha mágica daqui pra frente…

 

Anúncios