A indústria têxtil da União Européia

Depois de uns dias desaparecida, cá estou aqui de novo! A última semana foi tão intensa que não dei conta de atualizar o blog com a frequência que gostaria…E também teve SPFW, né? Quero escrever sobre isso em outro post, pois tem pano para manga! Agradeço a todos que me enviaram notícias sobre o assunto. Tenho uma rede potente de informantes! rs

Nos dias 19 e 20/01 participei de um seminário da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit). Tratava-se de um diálogo entre o Brasil e a União Européia com o objetivo de discutir políticas industriais e regulatórias do setor. Apesar de bastante técnico, o evento trouxe uma visão bastante abrangente de como funciona a indústria têxtil na Europa, além de tendências e dilemas. Os mais interessantes na minha avaliação:

– São 149 mil empresas e 1,8 milhão de trabalhadores;

– A produção é baseada em pequenas empresas (média de 13 trabalhadores por empresa);

– Enquanto a  indústria têxtil de alta tecnologia está concentrada na Itália, Alemanha, França e Espanha; a de confecções está na Bulgária, Polônia, Romênia e outros países do Leste Europeu.

– Há um crescimento do uso de têxteis em setores como transportes (21%), roupas de proteção (20%), construção (15%), móveis (9%) e medicina (8%);

– A sustentabilidade aparece como uma tendência, com foco principal na saúde e segurança do consumidor;

– A inovação têxtil é uma alternativa para atender desafios da sociedade nas áreas de saúde, energia, alimentação, construção e mobilidade;

– Ainda em relação à inovação, são diversos centros de pesquisa trabalhando junto às empresas, além de departamentos em universidades,  grupos (clusters) e estudantes;

– No tema ambiental, a União Européia está trabalhando com algumas políticas com foco nos temas solo, água, ar e resíduos. Há diretrizes específicas para cada um dos assuntos, prevendo a participação da sociedade e o controle das emissões das fábricas. A maior dificuldade é o consenso, pois são diversos estados membros e legislações que precisam ser atualizadas.

Fiquei animada de ver que a sustentabilidade aparece como tendência. Isso significa que há uma valorização do assunto na indústria européia de têxteis. O desafio é avançar em outras áreas (social, por exemplo) e conectar com as questões ambientais e econômicas.


Anúncios