Entrevista para o Portal Armário Feminino

As empresas têm investido cada vez mais em formas ecologicamente corretas na hora de produzir as principais tendências do mercado têxtil
Autor: Priscila Ferraz de Mello

O tema reciclagem e melhorias para que a natureza deixe de sofrer tanto e o Planeta Terra consiga ter um futuro melhor não está somente ligado às indústrias que emitem substâncias tóxicas ou que fabricam elementos de plástico e papelão, mas também ao mundo da moda. Atualmente, diversas marcas estão investimento em tecidos sustentáveis, diminuindo a agressão ao meio ambiente. Na realidade, esta relação da sustentabilidade com a moda não é recente, mas só recebeu este nome nos últimos anos. Até porque, as atividades manuais que compõem o mundo fashion, como crochê e tricô, e a reutilização de tecidos e peças, com a ascensão dos brechós, fazem parte deste conceito e sempre existiram desde o tempo de nossas mães e avós.Em ascensão
Hoje em dia, o mercado pede por uma produção e consumo acelerados, e então fica a questão: será que com toda essa rapidez o setor têxtil consegue ser sustentável? “Há quem discorde que uma indústria apoiada no fast fashion e no consumo excessivo possa ser sustentável. Eu costumo defender que toda e qualquer empresa tem os seus impactos e que em todo o caso é possível minimizá-los ou mesmo estimular transformações em modelos que já não nos servem mais. No caso do setor têxtil, todo o ciclo de produção de uma roupa envolve questões sociais, ambientais e econômicas que precisam ser levadas em conta”, opina Patricia Saito, consultora têxtil, da empresa Costura Sustentável.

Sem saída
Já que o mundo pede por ações preventivas e a moda não pode parar, as empresas tiveram que se adequar à sustentabilidade e se reinventar, afinal, as empresas que não ligam para o meio ambiente simplesmente não conseguem mais permanecer no comércio, principalmente quando levadas em conta as questões econômicas. “As peças sustentáveis ainda são mais caras, porque a produção ainda não acontece em larga escala. Mas é uma questão de tempo, e assim que aumentar a demanda, o preço vai diminuir”, explica Chiara Gadaleta, consultora de moda e sustentabilidade do site Ser Sustentável com Estilo.

O que estão usando
E variedade é o que não falta quando se fala em opções sustentáveis para a vestimenta. Existem os tecidos feitos de materiais reciclados, as fibras naturais, fibras têxteis feitas de garrafas PET recicladas, fios tingidos ecologicamente e até algodão orgânico. “No caso das empresas, uma das práticas mais comuns é a redução na utilização da água. O mais importante é considerar que uma peça sustentável não pode desconsiderar outros dois aspectos: ela precisa ser fashion e comercial, no sentido de ser uma peça de moda como outra qualquer, sem ser caricata”, afirma Patricia.

Sustentabilidade nos negócios
Que é obrigatório já sabemos, mas, é viável economicamente para as empresas essa adaptação à moda sustentável? A resposta é sim! O que as companhias necessitam é de adaptação e planejamento para permanecer com sucesso no mercado. “No Brasil, a Osklen investiu neste pensamento e não para de crescer. Além disso, diversas marcas pequenas estão produzindo suas peças a partir deste conceito. Já fora do país, a marca People Tree e alguns estilistas, como Stella McCartney aderiram à sustentabilidade”, conta a consultora têxtil.

Oskar Metsavaht, estilista da grife brasileira citada por Patricia, criou o e-fabrics por meio de seu Instituto chamado E. O conceito é apresentado por meio de um tag que identifica tecidos e materiais cuja origem e processo de produção respeitem critérios de comércio justo e de desenvolvimento sustentável.

Quem também passou a utilizar o couro ecológico em suas roupas foi Patricia Bonaldi. Em sua marca Pat Bo, todo o material vem de processo sustentável, evitando a caça de animais silvestres.

Faça em casa
Refazer peças ou usar algo sustentável não precisa sair somente das grandes marcas, também é possível produzir algo a partir do próprio Armário. Investir em tachas, em rendas e aplicar em roupas antigas, pode fazer toda a diferença e realmente dar um up no seu Armário. “É possível transformar camisetas velhas em vestidos, vestidos em saias, entre outros. Não é só aquela customização clichê de pintar e bordar. Reaproveitar o tecido de peças antigas pra criar novas é bacana também”, aconselha a especialista em imagem, Vanessa Versiani.

Clique na imagem para ver algumas peças sustentáveis

Entramos em contato com as principais grifes que estavam no SFPW, mas não obtivemos respostas até o fechamento desta matéria

Foto: weheartit.com / Divulgação 

Anúncios