Grameen Bank

A Mariana Parra, amiga dos tempos de Instituto Ethos, me encaminhou a mensagem da Avaaz por e-mail e não tive dúvidas em compartilhar. O Grameen Bank, instituição criada pelo economista e prêmio Nobel da Paz, Muhammad Yunus, corre risco de ser destruído. Tudo por conta da primeira-ministra de Bangladesh, Sheikh Hasina.

Caros amigos,

Uma poderosa mulher está ameaçando o futuro de milhões de outras mulheres — ela está usando seu poder enquanto primeira-ministra de Bangladesh para destruir o único banco que ajudou a tirar mais mulheres da pobreza do que qualquer outro banco. Mas se nos unirmos agora poderemos salvar este banco e acabar com essa investida contra os pobres:

Uma poderosa mulher está ameaçando o futuro de milhões de outras mulheres. Mas se juntos fizermos uma forte pressão neste exato momento, poderemos salvar o banco popular que serve de inspiração ao mundo.

O Banco Grameen abriu as portas para que milhões de mulheres saíssem da pobreza por meio de pequenos empréstimos para compra de animais ou equipamentos que seriam usados como pontos de partida pra que elas ganhassem seu próprio dinheiro. Mas a invejosa primeira-ministra de Bangladesh, Sheikh Hasina, demitiu o fundador do Grameen, o ganhador do prêmio Nobel Muhammad Yunus, e agora quer tomar o controle do banco, tudo para silenciar um rival político. Esta reviravolta pode acabar com o Grameen e destruir a esperança de milhões de pessoas.

Hasina se envolveu em uma série de escândalos em seu país – se além disso houver uma reação negativa da opinião pública mundial em sua lista de preocupações, poderemos forçá-la a voltar atrás em sua decisão. Quando 1 milhão de vozes se unirem em uma petição, a Avaaz dará início a uma ação de mídia em Bangladesh e ao redor do mundo, criando constrangimento para Hasina até que ela pare com esses ataques vingativos. Assine a urgente petição agora:

http://www.avaaz.org/po/save_the_world_best_bank/?bUukcbb&v=18497

O Banco Grameen é muito diferente dos grandes bancos de Wall Street. Eles emprestam dinheiro para 8.4 milhões de pessoas, na maioria dos casos mulheres das vilas mais pobres de Bangladesh, para que elas possam comprar vacas ou máquinas de costura e dêem o pontapé inicial para ganhar dinheiro por conta própria. As beneficiárias dos empréstimos também gerenciam o próprio banco — não somente são a maioria no quadro de acionistas, como 9 das 12 cadeiras do conselho do banco são ocupadas por mulheres vindas de aldeias.

Mas a primeira-ministra Hasina quer acabar com o Banco Grameen que conhecemos. Primeiro ela derrubou o Dr. Yunus do cargo de diretor e agora aprovou uma lei que dá ao governo o poder de passar por cima do conselho popular e escolher o sucessor de Yunus. E há o medo de que o governo use sua nova posição para manipular milhares de membros acionistas para conseguir votos nas eleições do ano que vem.

A queda do Grameen pode ser um desastre para Bangladesh e para o movimento de microcrédito que trabalha para melhorar a vida das pessoas ao redor do mundo como um todo. Assine essa urgente petição para a primeira-ministra Hasina e, juntos, vamos salvar o banco que está revolucionando o combate à pobreza:

http://www.avaaz.org/po/save_the_world_best_bank/?bUukcbb&v=18497

Membros da Avaaz se unem cada vez mais para lutar contra graves injustiças e corrupção. Mais de 2 milhões de pessoas se manifestaram para a aprovação da lei de combate à corrupção mais forte da história do Brasil, e meio milhão de membros ajudaram com sucesso a congelar os bens do ditador egípcio Hosni Mubarak quando ele tentou fugir do país. Chegou a hora do poder popular brilhar em Bangladesh… e juntos salvarmos o melhor banco do mundo.

Com esperança e determinação,

Jamie, Kya, Caroline, Meredith, Emma, Ricken, Maria Paz e toda a equipe da Avaaz

Mais informações:

Quando as mulheres prejudicam outras mulheres (R7)
http://noticias.r7.com/internacional/noticias/quando-as-mulheres-prejudicam-outras-mulheres-20121005.html

Justiça rejeita recurso de Yunus, o ‘banqueiro dos pobres’ (Folha de São Paulo)
http://www1.folha.uol.com.br/mercado/898546-justica-rejeita-recurso-de-yunus-o-banqueiro-dos-pobres.shtml

Preocupação acerca de possível estatização do Banco Grameen (em inglês) (MoneyLife)
http://www.moneylife.in/business-wire-news/george-shultz-madeleine-albright-join-growing-groundswell-of-concern-over-possible-government-takeover-of-grameen-bank/32559.html

A política de Bangladesh e o futuro incerto do Banco Grameen (em inglês) (Council on Foreign Relations)
http://blogs.cfr.org/coleman/2012/09/05/bangladeshi-politics-and-the-grameen-banks-uncertain-future/

Banco Grameen, pioneiro do microcrédito, é enfraquecido pelo governo de Bangladesh (em inglês) (Huffington Post)
http://www.huffingtonpost.com/eliot-daley/microfinance-pioneer-grameen-bank_b_1793025.html

EUA reitera sua precupação acerca do Banco Grameen (em inglês) (The Financial Express)
http://www.thefinancialexpress-bd.com/more.php?news_id=142492&date=2012-09-07

Um ataque ao Banco Grameen e à causa das mulheres (em inglês) (Opinionator — NY Times)
http://opinionator.blogs.nytimes.com/2012/08/22/an-attack-on-grameen-bank-and-the-cause-of-women/

A Avaaz é uma rede de campanhas globais de 16 milhões de pessoas que se mobiliza para garantir que os valores e visões da sociedade civil global influenciem questões políticas internacionais. (“Avaaz” significa “voz” e “canção” em várias línguas). Membros da Avaaz vivem em todos os países do planeta e a nossa equipe está espalhada em 19 países de 6 continentes, operando em 14 línguas. Saiba mais sobre as nossas campanhas aqui, nos siga no Facebook ou Twitter.

Esta mensagem foi enviada para maristparra@gmail.com. Para mudar o seu email, língua ou outras informações, entre em contato pelo link http://www.avaaz.org/po/contact/?footer. Não quer mais receber nossos alertas? Para decadastrar envie um email para unsubscribe@avaaz.org ou clique aqui.

Para entrar em contato com a Avaaz, não responda este email, escreva para nós no link www.avaaz.org/po/contact.

Anúncios