Entrevista para o Terra: Especialista ensina a comprar e vender roupas em brechós

O portal Terra publicou ontem uma entrevista minha sobre a reutilização de peças e as compras em brechós. Ainda que os brechós não representem uma transformação no sistema de produção de roupas, são importantes na medida em que estimulam o reuso de peças existentes (diminuindo a pressão por novos recursos) e carregam outros atributos como a qualidade, o estilo, a unicidade, o valor cultural, de época. Neste sentido, tem sido uma experiência incrível coordenar, com a Eliane Saito, o brechó do Circus. Tenho encontrado peças lindas, com histórias para contar e que irão construir novos laços com as pessoas que as compraram! ♥

Especialista ensina a comprar e vender roupas em brechós

Já pensou em renovar o guarda-roupa gastando pouco, adquirindo peças importadas, seminovas, novas ou vintages, e praticamente únicas? O caminho certo para isso são os brechós, que, de quebra, ainda colaboram para o reaproveitamento e a reciclagem de roupas e acessórios.

“Hoje, o sistema de compra, uso e descarte pode ser muito mais consciente. Em vez de as peças terem como fim os aterros sanitários, há outros destinos e, um deles, é o sistema de comércio nos brechós”, explica Patrícia Saito, jornalista, consultora de moda e sustentabilidade, autora do blog Costura Sustentável e responsável pelo brechó Circus Hair, em São Paulo.

Desapegue

Abra seu guarda-roupa. Com certeza, você vai encontrar peças que comprou em liquidações e nunca as usou. Vai achar, ainda, itens da coleção da estação passada que já não ficam bacanas. Nada de deixar no fundo da gaveta. Separe tudo o que não usa e entre em contato, por telefone ou e-mail, com alguns brechós. “Possivelmente, eles vão pedir para você levar as roupas para análise. Por isso mesmo é importante juntar várias peças, a não ser que seja algo que tenha um valor muito importante”, orienta Patrícia.

Preço de venda

A maioria dos estabelecimentos vende as peças no sistema de consignação, ou seja, você só recebe o valor do seu produto se alguém comprá-lo. Sem contar que o preço de cada item vai depender de critérios como qualidade, modelagem, tipo de tecido, durabilidade e conservação.

Como os brechós estão se profissionalizando, cada vez mais não costumam aceitar peças rasgadas ou manchadas. “Uma das grandes mudanças que vem ocorrendo é que as peças que seguem para o brechó são aquelas que não são usadas ou não servem, não necessariamente são as velhas e sem condições de uso”, comenta a consultora.

Tenha foco

Avalie seu estilo, o que tem e o que está faltando. Tenha em mente o tipo de roupa que está procurando no momento, se é vintage, seminova ou nova e, ainda, quanto pretende pagar. “O importante é escolher algo que não fuja do seu estilo. Assim fica mais fácil usar a criatividade e misturar o vintage com alguma peça nova, sem parecer que saiu de um filme de época”, ensina Patrícia.

Avalie as peças

Confira o estado de conservação do item desejado: se tem furos, sinais de mofo, manchas e os aviamentos. Opte por peças com qualidade e que precisam de ajustes simples.A consultora aconselha a experimentar, sempre. “Muitas roupas são importadas e a numeração, às vezes, pode enganar.”

Fonte: Terra/Seção Moda Reciclada

Anúncios