Criatividade para a sustentabilidade

Crédito: Left studio 23 and Right Neelu

Crédito: Left studio 23 and Right Neelu

A tarefa parecia simples: aprovar uma campanha publicitária para um curso que iria falar de sustentabilidade para jornalistas. Na  reunião de briefing, várias recomendações e algumas ideias para a agência que me atendia. Naquela ocasião, há três anos, imaginava que a tal agência de publicidade poderia me salvar da difícil missão de falar sobre desenvolvimento sustentável de maneira leve, inteligente e atrativa. Mas percebi – na reunião de apresentação das propostas finais – que o tema ainda representa um quebra-cabeça para quem trabalha com comunicação.

E não preciso ir muito longe. Outro dia, preparando uma apresentação para uma palestra, entrei no Google para procurar imagens com a palavra-chave: desenvolvimento sustentável. Bom, o que vem em seguida é quase o mesmo que a agência havia me apresentado há alguns anos: imagens do planeta Terra, de árvores e de plantas. Tudo em verde, diga-se de passagem, esquecendo das conexões que o conceito tem com as questões sociais, éticas e econômicas.

Toda essa história tem a ver com comunicação, especialmente com publicidade. E estou aqui para dizer que continuo acreditando que a publicidade pode ser uma grande oportunidade para falar de sustentabilidade. O potencial é enorme, mas são poucas as campanhas que conheço que conseguem sair do clichê “planeta-árvore” e abordar outras dimensões, atrair atenção sem parecer ecochato,mobilizar, fazer as pessoas compartilharem nas redes sociais, enfim.

Make love not CO2!

Make love not CO2!

poster2

Acredito que a publicidade tem o poder de falar do “desejo” e esse desejo pode ser de consumo, mas também relacionado a uma causa, um movimento, uma crença. Hoje em dia lembramos e compartilhamos nas redes sociais vários comerciais que assistíamos quando crianças e jovens e eles são eternos pela música, mensagem, personagens, produto e situações. Os produtos nem existem mais em alguns casos, mas certamente ficaram marcados na memória. É ou não é um grande poder?

Sair do lugar comum e comunicar

Sair do lugar comum e comunicar

E a gente sabe que mensagem boa e bem comunicada faz rir, chorar, desperta curiosidade, motiva, envolve, seduz. Será que a gente não precisa falar de sustentabilidade da mesma maneira que falamos de chocolate, sabonete e livros? Será que se as mensagens sobre a importância da água, da energia e dos alimentos naturais fossem mais conectadas com a vida das pessoas não seriam melhores compreendidas e adotadas? Na minha opinião, o tal do alarmismo não transforma, só produz medo e torna as pessoas cada vez mais egoístas e consumistas.

Linguagem simples

Linguagem simples

Enfim, acredito que esse planeta tão retratado por aí precisa mesmo é de profissionais criativos para fazer acontecer,  falando de assunto difícil de maneira fácil.

Não precisa de muito para sair do clichê da árvore!

Não precisa de muito para sair do clichê da árvore!

Anúncios